Seguir para o conteúdo.
Quinta-Feira, 31 de Julho de 2014
Secções
Ferramentas Pessoais

Segurança em Laboratórios

Exemplos de alguns riscos e regras de boas práticas a adoptar em Laboratórios de Química

Segurança em Laboratórios (subsector tintas e vernizes)




Imagem: Exemplo de um trabalho realizado num laboratório de química

Num laboratório, ao contrário do que acontece em muitas situações, da linha de produção de tintas e vernizes, o nível de formação académica dos trabalhadores é superior ou intermédio (geralmente).

Dados estatísticos provam que a maioria dos acidentes em laboratórios ocorrem por negligência e até imprudência dos técnicos. Existe, portanto, necessidade premente de se estabelecer nas indústrias e laboratórios de pesquisa, normas mais rígidas de segurança.

As condições em que químicos e técnicos de laboratório desenvolvem o seu trabalho variam de acordo com o tipo de funções exercidas. Quem se dedica à investigação, fá-lo, regra geral, em laboratórios de investigação e em gabinetes (geralmente perto do sector de produção). Contudo, podem ser exigidas deslocações ao exterior, designadamente para obter determinadas informações ou amostras de produtos. Os que têm funções relacionadas com a investigação aplicada, trabalham sobretudo em ambientes industriais, nos laboratórios de desenvolvimento de produtos, no sector de produção ou no sector de controlo de qualidade dos produtos.

Pelo facto de lidarem com certas substâncias tóxicas (ácidos, combustíveis, tintas, vernizes, etc.) estes profissionais necessitam, por vezes, de ter cuidados de segurança específicos como, por exemplo, o modo de armazenamento e manuseamento dessas substâncias, equipamentos de protecção individual, etc.

topo da página


Os riscos principais a que químicos e outros profissionais que trabalham em laboratórios estão expostos, são os seguintes:

 


Imagem: Perspectiva geral de um laboratório de química

  • Risco de Incêndio ou Explosão devido à manipulação de diversas substâncias e formação de atmosferas potencialmente explosivas;
  • Risco de queimaduras relacionadas com os materiais que manuseiam;
  • Risco de queda ao memo nível;
  • Risco de inalação de vapores nocivos ou tóxicos e consequente intoxicação;
  • Risco de desrespeito dos princípios ergonómicos relacionado com posturas incorrectas, movimentos repetitivos e trabalhos executados na posição de pé;
  • Risco de contacto com materiais e substâncias;
  • Risco eléctrico derivado dos vários equipamentos que são utilizados.

Depois de analisados os riscos acima referidos é necessário estabelecer medidas, no intuito de prevenir ou proteger os trabalhadores dos laboratórios dos diferentes riscos a que estão expostos. Em seguida apresentam-se algumas medidas de protecção / prevenção e regras de boas práticas a adoptar em laboratórios:

- O piso deve ser adequado e anti derrapante (mesmo quando molhado). Na escolha do tipo de piso, deve-se ter atenção a factores, como por exemplo, a resistência a produtos químicos, resistência mecânica, facilidade de limpeza e descontaminação ou ainda, condutividade eléctrica.

Exemplos de materiais para aplicar no piso dos laboratórios, consoante o tipo de químicos manuseados:


 

Madeira

Revestimento de Borracha

PVC

Cerâmica / tijoleira

Cimento

Acetona, éter

B

B

m

MB

MB

Solventes clorados

m

B

m

MB

B

Água

B

MB

MB

MB

MB

Álcool

B

MB

MB

MB

MB

Ácidos fortes

m

m

MB

MB

m

Bases fortes

m

m

MB

MB

m

Óleos

m

MB

MB

MB

B

Facilidade de descontaminação

m

m

B

MB

m

Legenda: MB=muito bom; B= bom; m=mau

- O tecto, paredes e mobiliário devem ser pintados com cores claras, preferencialmente tonalidades como o branco e creme, para facilitar a visualização de cartazes com indicações de segurança e não promover o cansaço visual.

topo da página

 

Os trabalhadores devem ter sempre ao seu dispor os seguintes EPI’s:


 

Imagem à esquerda: Exemplo de sinalização num laboratório de química
Imagem à direita: Chuveiro de emergência lava-olhos


  • Avental ou roupas de protecção em algodão grosso (100%);
  • Luvas adequadas ao tipo de substâncias manuseadas:
Tipo de luva

Utilização

Latex

Adequada para ácidos e bases diluídas, não indicada para solventes orgânicos.

Neopreno

Adequada para ácidos e bases, peróxidos, hidrocarbonetos, álcoois, fenóis. Não indicada para solventes halogenados e aromáticos.

PVC

Adequada para ácidos e bases, não indicada para a grande maioria dos solventes orgânicos.

PVA

Adequada para solventes aromáticos e halogenados. Não indicada para utilização com soluções aquosas.

  • Protecção facial / ocular;
  • Protecção das vias respiratórias, tendo em consideração os seguintes pontos:
        - Ser adequado à substância que é utilizada;

        - Ser verificado quanto à capacidade de vedação;

        - Ser mantido limpo e num local ausente de contaminação;

        - Respeitar o prazo de validade dos filtros;

  • Calçado anti-derrapante e fechado;
  • Se se justificar (caso os trabalhadores passem muitas horas na postura de pé), devem ter à sua disposição tapetes anti-fadiga.

- Determinados trabalhos com solventes nocivos à saúde deverão ser realizados numa “hotte”. Caso contrário deverá ser instalado, no laboratório, um sistema de exaustão localizado.

topo da página



Características das instalações relativamente ao armazenamento de produtos químicos



Três princípios fundamentais:

  1. Redução do “stock” ao mínimo indispensável;
  2. Estabelecer a separação adequada;
  3. Proceder ao isolamento de certos produtos.
  • Estantes de metal (convenientemente ligadas à terra) ou alvenaria são indicadas para a maioria dos produtos excepto os corrosivos; é recomendável que tenham um anteparo para evitar a queda dos frascos e, em simultâneo reterem um eventual derramamento;
  • As estantes ou prateleiras deverão ter 2 m de altura (no máximo) e estar bem fixadas, de modo a não caírem ou balancearem em caso de embate;
  • Os armários também devem estar dotados de ligação à terra. Devem ser completamente opacos para proteger determinadas substâncias da exposição à luz;
  • É importante que a o local de armazenamento dos produtos químicos possua ventilação adequada. Poderá ser natural ou mecânica. A ventilação é muito importante para manter a qualidade do ar nos laboratórios e, simultaneamente, evitar a formação de atmosferas explosivas – resultante da libertação de determinados solventes;
  • Caso haja necessidade (de acordo com a natureza das substâncias armazenadas), será recomendável recorrer ao confinamento/isolamento de determinadas substâncias, nomeadamente, produtos inflamáveis, cancerígenos, mutagénicos e muito tóxicos. Estes devem estar num armário devidamente sinalizado e trancado;
  • Os compostos devem ser guardados segundo classes de reactividade (inflamáveis com inflamáveis, oxidantes com oxidantes, etc.);
  • Os compostos incompatíveis devem estar separados uns dos outros durante a armazenagem;
  • As garrafas de gases armazenadas ao ar livre devem ser protegidas contra variações excessivas de temperatura; devem estar protegidas do contacto directo com o chão, assim como de possíveis factores que impliquem corrosão externa da sua estrutura metálica;
  • As garrafas de gases comprimidos devem ser armazenadas na posição vertical devidamente fixadas para evitar quedas intempestivas; devem estar separadas por categorias (tipo de gás) e quanto ao conteúdo (cheias para um lado e vazias para outro);
  • Deverá existir uma lista (inventário) de todos os produtos químicos existentes no laboratório. Essa lista deverá ainda conter informação relativa à localização e quantidade dos produtos em stock.
topo da página



Rotulagem dos recipientes





Imagem: Armazenamento de diversas substâncias químicas num laboratório

 

  • Todos os frascos estarem devidamente rotulados/etiquetados;  
  • Os rótulos devem ser facilmente legíveis e possuir a seguinte informação:
  • Nome do Produto;
  • Identificação do fabricante, Importador ou distribuidor do produto;
  • Frases de Risco;
  • Frases de Segurança;
  • Pictogramas ou simbolos de perigosidade;
  • Os rótulos deverão estar devidamente ligados aos frascos ou recipientes;
  • Todos os recipientes e produtos que entrarem no laboratório devem ser acompanhados por uma ficha técnica. Adicionalmente, deverá existir informação relativa à data de compra e prazos de validade.

Notas: devem ser sempre utilizadas as quantidades mínimas de produtos necessárias à realização dos diversos trabalhos. Os recipientes devem ser mantidos fechados quando não são utilizados (especialmente quando se verifica a libertação de solventes para o ambiente).

topo da página



Características das bancadas de trabalho

 

  • Altura compreendida entre 80 e 90 cm;
  • Quando trabalham várias pessoas em simultâneo num laboratório, deve existir um espaço livre, de sensivelmente 1 metro de bancada por cada trabalhador;
  • As bancadas não deverão ter cantos pontiagudos; deverão ser resistentes a ácidos e bases e não combustíveis;
  • As cadeiras e bancos existentes devem ser ergonómicas, de modo a evitar lesões e patologias derivadas do desrespeito pelos princípios ergonómicos;

topo da página



Características recomendadas para janelas e portas

 

  • As portas não devem ter maçanetas ou puxadores, de modo a facilitar a entrada e saída com as mãos ocupadas. Se possível, devem estar equipadas com sistema antipânico;
  • As calhas e esquadrias de portas e janelas devem ser construídas por materiais incombustíveis;

  • Os laboratórios deverão possuir pelo menos duas portas, de modo a facilitar a evacuação das pessoas em caso de emergência;
  • A existência de janelas, para além de diminuir a sensação de claustrofobia dos trabalhadores, deverá também possibilitar (em caso de emergência) a entrada e saída de equipamentos de combate a incêndios;
  • Deve-se evitar o uso de cortinas. Caso estas sejam imprescindíveis, devem ser constituídas por materiais incombustíveis;
topo da página


Protecção contra riscos eléctricos

 

  • Toda a instalação eléctrica deve ser revista com frequência de modo a evitar falhas;
  • Deverá existir uma boa ligação à terra; o valor da resistência da terra deve ser medida com frequência; 
  • Os disjuntores diferenciais a aplicar na instalação eléctrica deverão ser de alta sensibilidade;
  • Deve evitar-se o uso de extensões e muitas ligações em simultâneo. Para além de existir possibilidade de sobrecargas, aumenta também o risco de queda ao mesmo nível.

topo da página



Sistemas de segurança

 

  • Deverá existir um plano de evacuação dos trabalhadores que deverá ser posto em prática numa situação de emergência;
  • Os laboratórios deverão estar dotados de meios de detecção e extinção de incêndios; Deverão ainda ser colocados extintores. Estes são o meio mais adequado para atacar um incêndio na sua fase inicial. A sua devida utilização permite atacar as chamas incipientes e controlar ou conter o seu desenvolvimento.

Tabela de correspondência entre as classes de fogo e o tipo de agente extintor que deve ser utilizado:

Classes de Fogos

Tipo de Agente extintor a utilizar

Água

Espuma

Pó químico BC

Pó químico ABC

CO2

Agentes específicos especiais

A

B

A

X

B

X

X

B

X

B

B

B

B

X

C

X

X

B

B

B

X

D

X

X

X

X

X

B

Envolvendo corrente eléctrica

X

X

A

A

B

Não aplicável

            Legenda: B - Bom; A - aceitável; X - não indicado

  • Caso haja utilização de gás nos laboratórios, estes deverão possuir um sistema automático de detecção, que proceda simultaneamente ao corte;
  • Deverão existir chuveiros / lava-olhos devidamente sinalizados para minimizar as consequências de pequenos acidentes (geralmente salpicos);
  • Deve ser estabelecido um programa de controlo da aquisição/armazenamento de produtos químicos, assim como dos resíduos produzidos laboratorialmente.
topo da página



Indicações gerais de segurança em Laboratórios



  • Proibição de fumar ou foguear;
  • Proibição de comer e beber;
  • O laboratório deve ser mantido limpo, funcional e em ordem; devem ser retirados quaisquer materiais que não tenham relação com o trabalho;
  • Não guardar alimentos ou bebidas no laboratório;
  • Proteger o cabelo, prendendo-o;
  • Não utilizar acessórios, pulseiras, anéis ou fios;
  • Não trabalhar no laboratório sem bata e os restantes EPI’s necessários à realização das tarefas;
  • Nunca tentar identificar um produto químico desconhecido pelo odor ou pelo sabor;
  • Evitar distracções durante o trabalho no laboratório, ex.: conversa ou música;
  • Deve evitar-se trabalhar sozinho no laboratório;
  • Nunca levar roupas ou outros materiais contaminados para casa;
  • Ter todos os cuidados de higiene pessoal necessários. Os trabalhadores nunca se devem esquecer de lavar as mãos (especialmente quando manuseiam substâncias nocivas à saúde);
  • Ter disponível um telefone e um “placard” onde constem os contactos de emergência, assim como uma caixa de primeiros socorros.
topo da página


Os utilizadores dos laboratórios deverão ter formação/informação nos seguintes domínios: 




  • Práticas adequadas relativamente ao armazenamento de produtos químicos;
  • Transporte, manuseamento e eliminação de produtos químicos e seus resíduos;
  • Armazenamento correcto dos produtos químicos em “stock” de acordo com as suas características;

  • Formas de tratamento de derrames acidentais de produtos químicos;
  • Leitura e interpretação de rótulos e fichas de segurança dos produtos;
  • Primeiros socorros;
  • Uso adequado de equipamento de protecção individual;
  • Prevenção e combate a incêndio.

topo da página

                        
                         Tabela de incompatibilidade de armazenamento de substâncias químicas:

Substâncias Químicas

Incompatibilidade

Metais alcalinos

Tetracloreto de carbono, dióxido de carbono, água e produtos halogenados

 

Líquidos inflamáveis

Nitrato de amónia, peróxido de sódio, ácido nítrico e os halogenados

Hidrocarbonetos

(propano, gasolina)

Flúor, cloro, bromo e peróxido de sódio

 

Oxigénio

Óleos, hidrogénio, líquidos inflamáveis, sólidos e gases

 

Ácido sulfúrico

Clorato de potássio, perclorato de potássio, permaganato de potássio e compostos similares de outros metais leves

 

Acetona

Ácido sulfúrico e ácido nítrico concentrados

 

Acetileno

Bromo, cloro, flúor, cobre, prata, mercúrio e seus compostos

 

Bromo, cloro

Amónia, gases derivados de petróleo, hidrogénio, sódio, benzeno e metais finamente divididos

 

Peróxido de hidrogénio

 

A maioria dos metais e seus sais, álcoois, substâncias orgânicas e quaisquer substâncias inflamáveis

 

topo da página

Criado por ricardopinto
Última modificação 2006-04-19 19:48

Autenticação

   
 
 

Câmara Municipal da Maia MaiaInova POS_Conhecimento FEDER